O verdadeira Aecio Neves e seu pupilo Antonio Anastasia do PSDB escondido e blindado por trás da mídia Golpista,e da imprensa censurada mineira e pela mídia convencional que ajuda a esconder a corrupção do PSDB
publicado por aecioneves | Domingo, 14 Julho , 2019, 06:14

 

Veja como votaram os deputados do PSDB:

PSDB reforma previdencia

Veja também como votaram os demais deputados por Estado
Veja Também Sergio Moro compartilha post de Onyx Lorenzoni do Caixa 2 e comemora o fim das aposentadorias

Às vésperas de votação da reforma, governo Bolsonaro libera quase R$ 1.000.000.000,00 1 bilhão em emendas

Do Fora PSDB


publicado por aecioneves | Segunda-feira, 04 Fevereiro , 2019, 23:11
DCM: Mineirinho acertou diretoria com Joesley!
Aécio Neves  nomeou presidente da Vale! Explicado o motivo da demora da Justiça Federal em julgar o caso de Mariana
 
Via DCM:
Matéria do Globo de maio de 2017 falava sobre a indicação do atual presidente da Vale, Fabio Schvartsman, por Aécio Neves:
Na conversa com Joesley Batista no Hotel Unique, em São Paulo, no dia 24 de março, Aécio Neves lhe ofereceu a possibilidade de nomear um diretor da Vale. Foi nessa mesma conversa que Aécio pediu R$ 2 milhões para, supostamente, pagar honorários advocatícios.
Este trecho da gravação feita por Joesley rebate frontalmente o que Aécio disse ontem à noite: que sua relação com o dono da JBS era meramente de amizade, sem envolver nenhum tipo de contrapartida.
Ora, embora a Vale seja uma empresa privada, o tipo de acesso que Aécio vende ali só lhe era possível devido à sua influência no governo Temer e o devido poder do governo sobre a formação da diretoria da Vale.
Os dois começam a falar na Vale quando Joesley, que gravava toda a conversa, diz a Aécio que gostaria que o novo presidente da empresa fosse Aldemir Bendine, ex-presidente do Banco do Brasil, da Petrobras e enroladíssimo na Lava-Jato.
Aécio disse que não poderia fazê-lo, mas tranquiliza Joesley. Contou que ele já havia indicado o novo presidente da Vale e que o nome de seu candidato seria conhecido em breve por Joesley.
Revelou, em seguida, que havia colocado o nome de seu indicado como um dos três da empresa de headhunters contratada pela Vale para fazer a escolha. E mais: Joesley poderia escolher qualquer diretoria da empresa para fazer uma nomeação.
Para Joesley, Aécio não falou em nomes. Mas quando, três dias depois dessa conversa gravada por Joesley, Fábio Schvartsman foi anunciado como o novo presidente da Vale, Aécio disse a vários interlocutores que o executivo foi indicado por ele. 

 

publicado por aecioneves | Domingo, 09 Setembro , 2018, 16:31

Anastasia tenta censurar vídeo que o liga a Aécio Neves


Enquanto o juiz da lava jato Sergio Moro fica desfilando com Mineirinho e outros corruptos sorridentes em eventos ,candidato ao governo de Minas Gerais, o senador Antonio Anastasia (PSDB-MG) entrou com uma ação judicial para tirar do ar um vídeo da campanha do governador Fernando Pimentel, do PT, que o liga ao senador Aécio Neves (PSDB-MG), como se o nome fosse um palavrão. Indicado Aécio, Anastasia foi o relator do golpe contra a presidenta Dilma Rousseff, que foi afastada da presidência da República sem crime de responsabilidade. Dilma deu a volta por cima e chegará ao Senado na vaga que era de Aécio, desmoralizado pelos grampos da JBS, em que negocia uma propina de R$ 2 milhões que foi abafada por DODGE,Moro e STF e assim autorizado a concorrer a eleição pela justiça parcial


publicado por aecioneves | Sábado, 26 Dezembro , 2015, 01:15

DCM elege Aécio 'o pior brasileiro do ano';
"Ele consumiu seu tempo em conspirações contra a democracia em 2015. Tentou, e continua a tentar, cassar 54 milhões de votos, sob os pretextos mais esdrúxulos, cínicos e desonestos. Adicionou um novo e definitivo rótulo a sua imagem de playboy do Leblon, adepto de esforço mínimo e máximas vantagens: o de golpista", escreve o jornalista Paulo Nogueira, ao justificar sua escolha.
247 – O jornalista Paulo Nogueira, editor do Diário do Centro do Mundo, elegeu o senador Aécio Neves (PSDB-MG) 'o pior brasileiro do ano'.
"Ele consumiu seu tempo em conspirações contra a democracia em 2015. Tentou, e continua a tentar, cassar 54 milhões de votos, sob os pretextos mais esdrúxulos, cínicos e desonestos. Adicionou um novo e definitivo rótulo a sua imagem de playboy do Leblon, adepto de esforço mínimo e máximas vantagens: o de golpista", escreveu Nogueira, ao justificar sua escolha.
"Para tanto, andou sempre nas piores companhias da República. Esteve constantemente junto de Eduardo Cunha, que só não levou o título de Pior Brasileiro porque Aécio existe", disse ainda o jornalista. "Aécio protegeu, preservou Cunha. E assim contribuiu decisivamente para que ele chegasse ao fim do ano ainda na presidência da Câmara, o que representa uma tonitruante bofetada moral no rosto da nação. Pode-se dizer que Cunha é filho de Aécio. São sócios no crime de lesa democracia."
Leia a íntegra no DCM.


publicado por aecioneves | Sábado, 21 Novembro , 2015, 20:22

Pelo projeto, São Paulo, Minas e Rio terão limites que permitirão a ampliação do quadro de comissionados

Aécio Neves (Foto:  Edilson Rodrigues/ Agência Senado)

Uma proposta de emenda constitucional de autoria do senador Aécio Neves (PSDB-MG), já aprovada na Comissão de Constituição e Justiça do Senado, pode, na prática, ter efeito contrário do anunciado: em vez de reduzir o número de cargos comissionados, vai permitir a multiplicação dessas vagas nos governos federal e nos principais Estados.

"Esse projeto busca, em um primeiro momento, frear o crescimento alarmante dos cargos chamados comissionados, aqueles de livre provimento na máquina pública", disse Aécio, no dia da votação. Feitas as contas, porém, a proposta permitiria mais do que dobrar o número desses cargos no governo federal.Nos governos de São Paulo, Minas Gerais e Rio de Janeiro aconteceria o mesmo. Para complicar, uma emenda do senador Antonio Anastasia (PSDB-MG) foi acolhida pelo relator da proposta, Álvaro Dias (PSDB-PR), e ampliou ainda mais o teto para Estados e municípios. Resultado: São Paulo, Minas e Rio terão limites que permitirão a ampliação do quadro de comissionados em 973%, 347% e 338%, respectivamente.

Efetivos

Outro ponto da proposta de Aécio reserva metade dos cargos comissionados para servidores efetivos. Isso também poderia provocar um retrocesso, já que, no governo federal, três de cada quatro desses cargos já são ocupados por servidores de carreira.

Questionada pela reportagem se houve algum estudo para definir o número ideal de comissionados antes da votação, a assessoria de Aécio divulgou nota sem responder a essa questão.No projeto, que ainda precisa passar pelos plenários do Senado e da Câmara para entrar em vigor, o senador e ex-candidato do PSDB à Presidência propôs que o número de comissionados não ultrapasse 10% do total de servidores efetivos. Com isso, o limite seria de 51,6 mil cargos - quase 30 mil a mais do que o total existente hoje.

No texto de justificativa que acompanhou a proposta, Aécio se mostrou preocupado com o "impacto" da medida: "Obviamente, não é factível que uma mudança tão profunda na administração seja efetivada de imediato. Por isso, o artigo 2.º estabelece a implementação gradativa do limite de cargos em comissão (30% no primeiro ano, 20% no segundo e 10% a partir do terceiro)". Ou seja, por essa regra transitória, se a proposta for aprovada neste ano e sem modificações, o governo federal terá em 2016 um teto de quase 155 mil cargos para ocupar com comissionados - cerca de 130 mil a mais do que a quantidade atual.

'Profissionalização'

A assessoria do senador Aécio Neves (PSDB-MG) divulgou nota na qual afirma que a proposta de emenda constitucional que cria limites para cargos comissionados "tem como objetivo principal a profissionalização da gestão pública, em todas as suas esferas, uma vez que a ocupação de cargos em comissão e de funções de confiança deverá necessariamente ser precedida de um processo seletivo e de certificação que verificará a escolaridade necessária, os conhecimentos técnicos, a capacidade, as habilidades específicas e a experiência dos postulantes". O texto diz ainda que "hoje não existe teto legal para a União criar cargos comissionados ou uma legislação que estabeleça de maneira uniforme esses porcentuais". E acrescenta que a "PEC estabelece esse limite constitucional único para o número de comissionados, fixando um teto para todos os entes da Federação." A nota de Aécio diz ainda que "o teto de 10% deverá trazer significativa redução de despesas".

Álvaro Dias afirmou que seu relatório avaliou mais a constitucionalidade da proposta. Ele admitiu que o teto de 10% é "exagerado" e afirmou que o patamar pode ser alterado durante a tramitação da emenda no Senado e na Câmara. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo. via Epocanegocios


publicado por aecioneves | Domingo, 08 Novembro , 2015, 23:17

Colaborador de Aécio doa R$ 1,5 mi para projeto de Neymar, que apoiou candidato tucano

O Instituto Projeto Neymar Jr., mantido pelo atacante do Barcelona em Praia Grande, no litoral paulista, captou R$ 1,5 milhão com a empresa Titans Group através da Lei de Incentivo ao Esporte. A companhia tem entre seus sócios o publicitário Mino Mazzamati, que trabalhou na campanha de Aécio Neves à presidência em 2014.

A Titans realizou dez repasses entre os dias 21 de agosto e 29 de outubro, todos com o mesmo valor de R$ 150 mil. O total é superior ao que o projeto havia arrecadado até então: R$ 1,385 milhão. Assim, o instituto se aproxima do que foi aprovado para captação. A entidade arrecadou R$ 2,885 milhões dos R$ 3,09 milhões permitidos.

Mazzamati é apontado como um dos principais coordenadores da campanha digital de Aécio no ano passado. Ele teria atuado na criação do portal e do perfil no Twitter do candidato, que ainda não tinha presença na rede social.

Em outubro de 2014, às vésperas do segundo turno, Neymar declarou apoio ao presidenciável do PSDB. O jogador publicou um vídeo em seus canais na internet.

– Eu vou apoiar o candidato Aécio Neves, por que me identifico muito com a proposta que ele tem para o Brasil – afirmou o camisa 10 da Seleção.

Além da Titans, o projeto de Neymar arrecadou outros R$ 530 mil com a Sabesp, a companhia de saneamento básico do Estado de São Paulo.

A Lei de Incentivo ao Esporte permite o repasse de parte do Imposto de Renda devido. Empresas podem doar até 1% do valor, porcentagem que sobe para 6% para pessoas físicas.

*Por Leonardo Lourenço

 

 


publicado por aecioneves | Quinta-feira, 29 Outubro , 2015, 10:54

Oposição suicida

           Rejeição a Aécio, Marina, Alckmin e Serra também explode            O drama da oposição é grave. Seus líderes, mesmo contando com a cumplicidade do noticiário, gastam todas as fichas para desconstruir Lula e o PT. E acabam envenenando a toda a classe política Adriano Vizoni/Folhapress

tucanos Aecio Neves José Serra Geraldo Alckmin do PSDB

Há um ano, com a cumplicidade da mídia, eles promovem o terceiro turno, num processo que degrada a política

Jornais da imprensa tradicional destacam nesta segunda feira (26) uma pesquisa de potencial de votos para presidente em 2018, feita pelo Ibope, enfatizando que o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) teria rejeição de 55%. Aparentemente, reflete a intensa campanha de desgaste promovida contra o ex-presidente, seu partido e o governo da presidenta Dilma Rousseff. Mas pouca ênfase foi dada na altíssima rejeição aos principais líderes da oposição.

O Ibope pesquisou o potencial de voto de alguns dos principais personagens políticos que podem vir a disputar a sucessão de Dilma daqui a três anos. Declaram que “não votariam de jeito nenhum” no governador Geraldo Alckmin (PSDB-SP) 52%. A rejeição ao senador Aécio Neves (PSDB-MG) subiu de 42% para 47%. O senador José Serra (PSDB-SP) é rejeitado 54%. Marina Silva (Rede-AC) atinge 50% de rejeição. Até Ciro Gomes (PDT-CE) – este não está na oposição – aparece com a alta rejeição de 52%.

Os números mostram que a tática oposicionista – partidária e midiática – de desconstruir o governo Dilma, a principal liderança petista e de apostar “no quanto pior, melhor”, não está agradando o povo. O resultado da ação política de Aécio Neves e seus aliados é como o dos terroristas que, no objetivo de impor baixas nos oponentes, explodem a si mesmos antes se saber o tamanho do estrago que causarão, de fato, aos seus alvos.

Quando Aécio reedita a agenda do “mar de lama” que derrubou Getúlio Vargas, a leitura do povo é outra. Passa a ver com maus olhos não apenas o alvo desejado pelo oponente, mas toda a classe política, inclusive o próprio Aécio que a ela pertence desde criancinha. Como agravante, o senador tucano escolhe para suas andanças conspiratórias em torno do “golpe paraguaio” a companhia de políticos da estirpe dos deputados Eduardo Cunha (PMDB-RJ) e Paulinho da Força (SD-SP), entre outros. E faz de seu mandato no Senado uma trincheira em causa própria, sem dedicar-se a pautas parlamentares importantes para a vida das pessoas.

O drama da oposição é grave porque seus líderes estão sendo poupados de ataques no noticiário. Escândalos de corrupção e de má gestão no governo paulista, quando não tem jeito de esconder, se depender do noticiário a responsabilidade, mesmo política, é sempre do mordomo do Palácio dos Bandeirantes, nunca do governador. Mesmo assim Alckmin tem rejeição de 52%.

Aécio Neves recebe todo tipo de blindagem, seja nas dezenas de escândalos engavetados, pelo seu péssimo desempenho como senador, ou pela oposição que faz “ao” Brasil, conforme já disse em ato falho durante uma entrevista. Ganha generosos holofotes da mídia para falar sua versão dos fatos nacionais, sem ser contestado.

Outros nomes de algum alcance nacional – e que já disputaram a presidência da República – também não se saem bem. Na pergunta sobre em quem votaria com certeza, Lula lidera isoladamente com 23%. Aécio aparece bem atrás com 15%, seguido por Marina com 11%, Serra 8%, Alckmin 7% e Ciro com 4%.

O potencial de votos, que soma o resultado das perguntas “em quem votaria com certeza” com “em quem poderia votar”, deu empate técnico entre os três primeiros: Aécio, 42%; Lula, 41%; Marina, 39%. Atrás vêm Serra, com 32%, Alckmin, 30%, e Ciro, 20%.

A pesquisa Ibope foi feita entre os dias 17 e 21. Na semana anterior, Lula sofreu exposição negativa no noticiário. No domingo anterior (11) o jornal O Globo estampou como principal manchete “Baiano diz que pagou contas do filho de Lula”. Não era verdade, e o filho de Lula declarou mover ação na Justiça contra o jornal, mas o boato se espalhou com rádios e TVs repetindo. No dia 16 o jornal Folha de S.Paulo estampava a manchete de capa “Delator diz ter repassador R$ 2 mi para nora de Lula”. Até a ombudsman do jornal, jornalista Vera Guimarães Martins, considerou o título manipulado e sem refletir a verdade, mas novamente o boato havia se espalhado. Foi nesse contexto que a pesquisa foi feita.

Como se pode observar, a hipótese de um terceiro mandato do ex-presidente está assombrando a oposição. A direita raivosa não está  faturando com os ataques. Em uma campanha eleitoral para valer, se o ex-presidente vier a ser candidato, terá espaço no horário eleitoral e em entrevistas para desmentir até boatos folclóricos como o de que seria “dono da Friboi”. Os candidatos de oposição, por sua vez, terão expostos os escândalos que mantêm abafados com a cumplicidade da imprensa. O quadro de uma campanha eleitoral de fato torna-se mais favorável ao ex-presidente do que aos candidatos oposicionistas.

Esse é o drama da oposição. Há de se considerar ainda que, quando a denúncia é demais e nada se comprova, o povo desconfia do denunciante. Nas eleições de 2006, houve um denuncismo desenfreado contra o primeiro governo Lula, com muita coisa não se comprovando. Lula foi reeleito.


publicado por aecioneves | Sábado, 18 Abril , 2015, 03:50

Achincalhando a C.L.T. – Aécio Neves disse que é a favor da terceirização e fará de tudo para aprová-la

O presidente nacional do PSDB, senador Aécio Neves (MG), afirmou nesta quinta-feira (16) que é a favor da versão original do Projeto de Lei (PL) 4.330/04, que autoriza a terceirização para todos os setores de uma empresa. Aécio Neves sinalizou discordar da posição da bancada do partido na Câmara dos Deputados, que na noite de ontem se aliou ao PT para adiar a votação da proposta.

“Estou esperando que a bancada da Câmara dê uma solução, mas a minha posição pessoal era pela manutenção do entendimento anterior”, afirmou o tucano, que evitou, contudo, defender para a imprensa a terceirização de todos os setores das empresas, como propõe o relatório do deputado Arthur Maia (SD-BA).

A bancada de deputados do PSDB apoiava a terceirização geral e irrestrita e votou favoravelmente ao texto-base, mas houve pressão de eleitores, em especial nas redes sociais, o que fez com que metade dos parlamentares tucanos mudassem de voto esta semana e passassem a apoiar a proibição de terceirizar a atividade-fim de uma empresa, tese defendida pelo PT e pelo Tribunal Superior do Trabalho (TST).

Tucanos favoráveis à terceirização da atividade-fim têm dito que perderam a “batalha da comunicação” diante da mobilização do PT nas redes sociais e de reportagens na TV com críticas ao projeto, o que fez a população se voltar contra o PL.

Aécio evitou se aprofundar sobre a proposta e, ao ser questionado se concordava com a terceirização da atividade-fim, disse que é favorável “ao projeto que foi discutido anteriormente”.

Para ele, houve pressão para que os deputados do PSDB mudassem de voto e o partido tentará construir uma posição consensual até quarta-feira, data marcada para a votação. “Foi um conjunto de informações contrárias, tentativas de influenciar alguns dos nossos deputados nas suas bases, de forma até artificial [que fez os deputados mudarem seu voto]”, disse.

Do Br29


publicado por aecioneves | Quarta-feira, 31 Dezembro , 2014, 16:59

Depois de fazer campanha aberta pela eleição do tucano Aécio Neves (PSDB-MG) à presidência, Veja publica ranking que o aponta como o pior senador do Brasil em 2014, com nota zero; para a criação da lista, segundo a revista, "são levadas em conta propostas de ajuste na legislação capazes de contribuir para um país mais moderno e competitivo, segundo a perspectiva de VEJA e da Editora Abril"; dos 20 mais bem colocados no 'Ranking do Progresso', divulgado pela quarta vez consecutiva, sete parlamentares pertencem aos quadros da dupla PSDB/DEM, mesmo número dos governistas PT/PMDB

 

Minas 247Depois de fazer campanha abertaà eleição de Aécio Neves à Presidência da República, a revista Veja publicou na edição deste fim de semana um ranking que coloca o tucano como o pior senador do Brasil em 2014. Ele foi o único senador a receber pontuação zero no chamado 'Ranking do Progresso', divulgado pela revista pelo quarto ano consecutivo. Para a formação da lista, de acordo com a publicação, "são levadas em conta propostas de ajuste na legislação capazes de contribuir para um país mais moderno e competitivo, segundo a perspectiva de VEJA e da Editora Abril". A Veja publica um quadro com os "nove eixos considerados fundamentais para isso". Confira abaixo:

Aecio Neves pior sewnador

A lista de senadores é liderada por Eduardo Amorim, do PSC-SE. Já na de deputados, quem está no topo são dois tucanos: o líder do PSDB na Casa, Antonio Imbassahy (BA), e Marcus Pestana, presidente do PSDB de Minas Gerais. A revista aponta que, no ranking deste ano, há "maior equilíbrio entre parlamentares do governo e da oposição na Câmara Federal". Dos 20 mais bem colocados, sete pertencem aos quadros da dupla PSDB/DEM, mesmo número dos filiados aos partidos aliados ao governo PT/PMDB. "O que explicaria tal mudança?", pergunta a reportagem de Veja. "É impossível não considerar como determinante do ranking de 2014 o fator 'calendário eleitoral'. Tivemos um longo e árduo ano de campanhas para os pleitos presidencial e legislativo — contaminadas, mais uma vez, por uma sucessão de escândalos que envolveram a classe política e alguns candidatos-protagonistas. Senadores e deputados passaram boa parte de 2014 empenhados em levar aos seus eleitores o resultado do trabalho desenvolvido a partir de 2011. Além disso, muitos congressistas se lançaram na disputa para os executivos federal e estaduais. Isso trouxe pelo menos duas consequências: a) um número pequeno de deliberações no Congresso, se considerarmos como base o período 2011-2013; b) pouco trabalho feito por parlamentares que, em outro momento, teriam maior atuação nos processos decisórios do Legislativo", explica a revista. Leia aqui a íntegra.


publicado por aecioneves | Terça-feira, 07 Outubro , 2014, 23:35

Choro e ironia com professores e serventes de pedreiro

Essa era a realidade em Minas Gerais com quase 8 anos de Aécio governando o Estado. O homem que diz a professora que era melhor "ser servente de pedreiro" era assessor de gabinete de Luiz Humberto, líder de Aécio na assembléia. Na época os professores ganhavam o equivalente a menos de dois salários mínimos (que era em torno de R$324 reais). Hoje, 12 anos depois, ainda é menos que dois salários mínimos atuais. Reclamam de vários direitos adquiridos perdidos com o novo sistema de pagamento implantado. Observando esse vídeo dá para entender como o candidado de Aécio em MG está perdendo a disputa pelo governo e como Aécio não ganha em nenhuma pesquisa no Estado. Fonte:Plantão Brasil


pesquisar neste blog
 
Julho 2019
D
S
T
Q
Q
S
S

1
2
3
4
5
6

7
8
9
10
11
12
13

15
16
17
18
19
20

21
22
23
24
25
26
27

28
29
30
31


comentários recentes
Muito bom!Especialista em Impressão Digital (https...
O JUIZ NÃO CONCURSADO E SEM OAB, AGENTE DA CIA (TR...
UM BANDIDO CANALHA REMUNERADO PELO MENSALÃO TUCANO...
é difícil entender por que esse gangster Aécio ain...
Esse Aécio parece que é protegido do judiciário br...
Gilmar Mendes suspende coleta de provas em investi...
Gilmar Mendes suspende coleta de provas em investi...
Vagabundo, fingido, nunca fez nada na vida a nåo c...
Vagamundo.
Que engraçado esses caras do PT... Só porque um de...
mais sobre mim
blogs SAPO