O verdadeira Aecio Neves e seu pupilo Antonio Anastasia do PSDB escondido e blindado por trás da mídia Golpista,e da imprensa censurada mineira e pela mídia convencional que ajuda a esconder a corrupção do PSDB
publicado por aecioneves | Segunda-feira, 04 Abril , 2016, 21:31

Porta dos Fundos revela fim de delação contra PSDB, golpistas querem censurar

 

O Porta dos Fundos publicou neste sábado (2) um vídeo no qual simula como funciona uma delação de um parlamentar com acusações contra o PSDB; protagonizado pelos atores Gregório Duvivier e Fábio Porchat, o episódio mostra um policial federal sem qualquer interesse nas diversas provas que um deputado apresenta contra políticos tucanos de desvios de dinheiro na Petrobras e na Vale; o PF só se interessa pelo que o parlamentar está falando quando ele cita a palavra "lula", numa referência a um jantar com "arroz de lula"; é o suficiente para que o policial mande expedir o mandado de prisão; ao final, Lula e sua "comparsa" Dilma terminam indiciados; veja o vídeo

247 - O Porta dos Fundos publicou um vídeo neste sábado (2), protagonizado pelos atores Gregório Duvivier e Fábio Porchat, no qual simula como seria uma delação de um parlamentar com acusações contra o PSDB.

Na cena, o policial federal (Duvivier) não demonstra qualquer interesse nas diversas provas que o deputado (Porchat) apresenta contra políticos tucanos de desvios de dinheiro na Petrobras e na Vale.

Diante de várias acusações contra parlamentares do PSDB, o PF diz que daquele jeito, ele não conseguirá voltar para casa.

A última prova apresentada pelo deputado é uma conta em um restaurante francês, de cujo encontro participaram "pessoas do PSDB e do PMDB", que jantaram "arroz de lula".

O policial se anima com a "referência" a Lula e já manda expedir o mandado de prisão.

Ao final do vídeo, o PF pergunta: "Do que você precisa? De uma (com som de "dilma") panela?".

Com a insistência do policial, o delator começa a repetir "de uma" até que o som fique exatamente igual a "Dilma".

Satisfeito, o policial diz: "pode emitir o outro mandato. Está presa a comparsa dele também".

Veja o vídeo:

 Inscrever no Canal para combater a censura dos golpistas https://www.youtube.com/channel/UCEWHPFNilsT0IfQfutVzsag

Vejam isso ocorrendo na vida real com a delação contra o Aecio Neves e MPF e Moro só queriam saber do DIrceu, vídeo que pode ter inspirado essa produção

 


MPF e Sergio Moro ignoram denuncias contra... por psdbcensuradopeloyoutube


publicado por aecioneves | Sábado, 01 Outubro , 2011, 04:17

do blog Historia para boi Acordar

 

Por Altamiro Borges

Aécio Neves, candidato preferencial do PSDB à sucessão presidencial de 2014, expressa bem a total ausência de idéias e projetos da oposição demotucana. No Senado, ele é uma decepção, segundo seus próprios pares. Seus discursos são vazios, enfadonhos. Já na Folha de S.Paulo, jornal que lhe cedeu espaço para uma coluna, os seus artigos são de uma mediocridade impressionante.

Nesta semana, o senador resolveu falar sobre economia. Quando a própria mídia rentista passa a reconhecer a gravidade da crise mundial e alguns “calunistas” até recuam nas suas críticas à recente redução da taxa de juros, ele escreve um artigo, intitulado “Inflação”, para atacar a decisão do Banco Central. Sua coluna na Folha até podia ser batizada de “As platitudes de Aécio Neves”.

 

Os desgastados chavões neoliberais

 

Para o brilhante “economista” tucano, a redução dos juros é uma “medida inflacionária”. Ela sinalizaria que “o governo extinguiu a bem sucedida política – aqui e no mundo – de metas de inflação, inaugurada no Brasil em 1999… Nada justifica o retorno a políticas voluntaristas que emperraram no passado o crescimento da nossa economia”.

Além de bajular o governo do seu padrinho FHC, que colocou o Brasil de joelhos diante do Fundo Monetário Internacional (FMI), Aécio Neves repete velhos e desgastados chavões neoliberais. Ele insinua que o governo estaria dando uma guinada “abrupta” na política macroeconômica, superando o tripé ortodoxo dos juros elevados, superávit fiscal e libertinagem cambial.

 

“Propaganda eleitoral gratuita”

 

Na prática, o texto é uma cópia rastaqüera das conclusões do seminário do Instituto FHC de agosto passado. Nele, os economistas tucanos defenderam a radicalização do programa neoliberal, pregando “menos estado”, mais privatizações e “maior abertura” da economia brasileira. Ou seja: a coluna de Aécio Neves na Folha serve apenas como “propaganda eleitoral gratuita” do PSDB.

Quem afirma isto é a própria ombudsman do jornal, Suzana Singer, que detonou os textos do senador na sua coluna de domingo passado. “De 11 artigos do ex-governador tucano, pelo menos seis pareciam discurso de Congresso, com críticas nada originais ao governo federal e promoção de iniciativas de Minas Gerais”. As platitudes de Aécio Neves servem apenas de “palanque eleitoral”.

Postado por Miro


publicado por aecioneves | Quinta-feira, 14 Julho , 2011, 14:17

no VIOMUNDO

Estado de Exceção em MG: comprovando a ditadura tucana!

 

do Blog do Bloco Minas Sem Censura

Para muitos, falar em “Estado de Exceção” em Minas Gerais, constitui um exagero. Não porque os tucanos não o queiram, mas porque vivemos numa Federação e, mesmo que tenham tais pretensões, não poderiam atropelar a ordem constitucional, no plano nacional.

Mas, além da coerção econômica sobre veículos de imprensa comerciais, comprando a adesão (como denuncia o deputado Sávio Souza Cruz), e além dos mecanismos de cooptação de agentes de poderes e órgãos de fiscalização, vamos apresentar alguns indicadores que deixarão boaquiabertos os que acham exagerada a crítica ao “Estado de Exceção”.

Trata-se de uma comparação simples entre a realização de Comissões Parlamentares de Inquérito e Comissões de Sindicância (predecessoras das CPIs) na ALMG, desde os tempos do Regime Militar e nos oito anos de governo Aécio/Anastasia.

De 1965 até 1984 aqui foram realizadas 30 CPIs. Sobre os mais variados temas da administração pública direta, indireta, dos setores mais dinâmicos da economia (mineração), meio-ambiente, habitação, sistema prisional etc.

Do ano do famigerado AI5, 1968, até 1984 foram 26 CPIs. Ou seja, mais de uma por ano. Enquanto que nos dois governos de Aécio/Anastasia foram apenas duas durante os oito anos: ou  seja 0,25 CPI por ano!

Mesmo no governo do tucano Eduardo Azeredo (1995-1998) foram 10. No de Itamar Franco (1999-2002) foram 17.

Isso sem contar milhares de requerimentos solicitando informações aos poderes constituídos, coisa que no atual governo Anastasia é sumariamente vetado ao Bloco Minas Sem Censura.

Afirmamos claramente: em toda a história republicana da Assembleia Legislativa, os oito anos de governo Aécio/Anastasia foram os que menos investigaram e apuraram denúncias, indícios, suspeitas e irregularidades que dizem respeito aos interesses do povo mineiro.

Veja abaixo a lista das CPI´s desde 1965.

 

Gerência-Geral de Documentação e Informação

Relação de Comissões Parlamentares de Inquérito (CPI’s) e Comissões de Sindicância instaladas a partir de 1963

( Obs. : Só estão listadas as comissões que possuem relatório final no Arquivo da ALMG )

Base: 29/06/2005

CPI’s

1963 a 1966 (5ª  LEGISLATURA)

1 – CPI – IPES   – 1963 -  Relatório Final  – sem data de publicação  –  Cx. 24

2 – CPI – HIDROMINAS  -  1963 – Relatório Final  -  sem data de publicação –

Cx. 20

Comissões de Sindicância

1963 a 1966  (5ª LEGISLATURA)

 

3 – COMISSÃO DE SINDICÂNCIA – REFORMA E AMPLIAÇÃO DO PRÉDIO DA ALMG – PALÁCIO DA INCONFIDÊNCIA  – Relatório Final  de 14/06/65  sem data de  publicação  -  Caixa 6

4 – COMISSÂO DE SINDICÂNCIA – MANESSMANN – 1965 – Relatório Final  – 17/12/65 – Caixa 45

5 – COMISSÃO DE SINDICÂNCIA – DENÚNCIAS DEP. ATHOS VIEIRA DE ANDRADE – PERSEGUIÇÃO POLÍTICA  – 1966 – Relatório Final  sem data de publicação – Caixa 11

Comissões de Sindicância

1967 a 1970 (6ª  LEGISLATURA)

 

6 – COMISSÃO DE SINDICÂNCIA – CRISE DA MANTEIGA E DERIVADOS DO LEITE – 1968 – Relatório Final  sem data de publicação – Caixa 27

7 – COMISSÃO DE SINDICÂNCIA  – JAPONAS – 1968/69 – Relatório Final sem data de  publicação – Caixa 15

 

8 – COMISSÃO DE SINDICÂNCIA – ACESITA – 1967 – Relatório Final sem data de publicação – Caixa 32

9 –  COMISSÃO DE SINDICÂNCIA – MANGANÊS / MG – 1965 – Relatório Final sem data de publicação – Caixa 40

 

 

CPI

1971 a 1974 (7ª LEGISLATURA)

 

10 – CPI – POLUIÇÃO  – RIO SÃO FRANCISCO – 1972 – Relatório Final sem data de publicação – Caixa 10

 

COMISSÕES DE SINDICÂNCIA

1971 a 1974 (7ª LEGISLATURA)

 

11 – COMISSÃO DE SINDICÂNCIA – DIVERSIFICAÇÃO (LIVROS DIDÁTICOS/ UNIFORMES/ MG) – 1973 – Relatório Final sem data de publicação – Caixa 28

12 – COMISSÃO SINDICÂNCIA – COLÔNIA SANTA ISABEL – 1972 – Relatório Final sem data de publicação – Caixa 37

 

 

CPI’ s  -

1975 a 1978 (8 ª LEGISLATURA)

 

13 – CPI – MBR / SERRA DO CURRAL – 1975 – Relatório Final em 11/06/75 –

Cx. 63

14 – CPI – CARTÉIS – 1975 – Relatório Final  publicado “ DL “ em 23/11/75 – Cx.

15 – CPI – CANA DE AÇÚCAR – 1976 – Relatório  Final  em 18/08/76 – Cx. 30

16 – CPI  – RIO DAS VELHAS E PARAOPEBA – 1978 – Relatório Final  sem data de publicação – Cx. 34

17 – CPI – AGENCIAMENTO  / RECLAMAÇÕES TRABALHISTAS – LEOPOLDINA – 1978 – Relatório Final sem data de publicação – Cx. 23

COMISSÕES DE SINDICÂNCIA

1975 a 1978 (8 ª LEGISLATURA)

18 – COMISSÃO SINDICÂNCIA – SECA NORTE DE MINAS – 1976 – Relatório Final publicado “DL” em 27/08/76 – Cx. 19

19 – COMISSÃO DE SINDICÂNCIA – INPS – 1977 – Relatório Final sem data de publicação – Cx. 24

20 – COMISSÃO DE SINDICÂNCIA – TORTURA / VIOLÊNCIA – POLÍCIA CIVIL – AO OPERÁRIO JORGE DEFENSOR – 1977 – Relatório Final sem data de publicação – Cx. 14

21 – COMISSÃO DE SINDICÂNCIA – REMOÇÃO IMAGENS DO ACERVO HISTÓRICO DE MINAS GERAIS PARA O RIO DE JANEIRO – 1978 – Relatório Final  sem data de publicação – Cx. 37

CPI’s

1979 a 1982 (9ª LEGISLATURA)

 

22 – CPI – TERRORISMO / MG – 1980 – Relatório Final publicado “DL”  em 10/10/1980 – Cx. 51

23 – CPI – VÍTIMA DAS ENCHENTES – 1979  – Relatório Final  sem data de publicação – Cx. 41

24 – CPI – COHAB – 1982 – Relatório Final  publicado em 23/09/1982 – Cx. 46

25 – CPI – DENÚNCIAS DO GAL. JOSÉLIO LOPES BRAGANÇA  – 1980 -  Relatório Final em 23/08/1980 – Cx. 37

COMISSÕES DE SINDICÂNCIA

1979 a 1982 (9ª LEGISLATURA)

26 – COMISSÃO DE SINDICÂNCIA -  BARRAGEM DE TRÊS MARIAS – 1980 – Relatório Final em 05/12/1980 – Cx. 36

27 – COMISSÃO SINDICÂNCIA – RÁDIO INCONFIDÊNCIA – 1980 – Relatório Final em 26/11/1980 – Cx. 70

28 – COMISSÃO DE SINDICÂNCIA – TRANSPORTE COLETIVO – AUMENTO DE TARIFAS – 1981 – Relatório Final sem data de publicação – Cx. 43

 

CPI’s

1983 a 1986 (10ª LEGISLATURA)

29 – CPI – PRESÍDIO SANTA TEREZINHA / JUIZ DE FORA – 1983 – Relatório Final publicado “DL” em 18/11/1983 – Cx. 42

30 – CPI – TRANSBORDAMENTO DO RIO ARRUDAS – 1983 – Relatório final sem data de publicação – Cx. 53

31 – CPI – BNH  – 1983 – Relatório Final publicado “DL” em 10/12/1983 – Cx. 66

32 – CPI – PENITENCIÁRIA  AGRÍCOLA DE NEVES – 1984 – Relatório Final publicado “DL” em 07/06/1984 – Cx. 67

33 – CPI – SISTEMAS PENITENCIÁRIOS – 1985 – Relatório Final sem data de publicação – Cx. 68

34 – CPI – RURALMINAS – 1985 – Relatório Final publicado “DL” em 27/06/1985 – Cx. 60

 

35 – CPI – TORTURAS A MENORES NA DELEGACIA ESPECIALIZADA DE ORIENTAÇÃO A MENORES – 1986 – Relatório Final publicado “DL” em 17/05/1986 – Cx. 57

 

 

CPI’s

1987 a 1990 (11ª LEGISLATURA)

36 – CPI CANA DE AÇÚCAR :  Relatório Final – Resolução  n º 4386/87

Publicação : “ DL “ em 04/12/87, pág. 20, col. 1.

Microfilme 369 – Cx.75

37 – CPI REFORMA ADMINISTRATIVA : Constituída  em 10/04/87

Relatório Final – Resolução n º  4447/87

Publicação : “ DL “ em 14/11/87 – Cx. 74

38 – CPI GRUPOS OMETTO E AGRIVALE  – Projeto Jaíba : Constituída em 30/05/87 – Relatório Final – Publicação “ DL “ em 20/04/88 – Cx. 72

39 – CPI DER – Constituída em 12/11/87 – Relatório Final – Publicação em 16/04/88 – Cx. 77

40 – CPI FIAT – Constituída em 27/03/87 – Relatório Final – Resolução n º 4372/87 – Publicação “DL “ em 30/09/87, pág. 35, col.1 – Microfilme 364. -  Cx. 76 A e B

41 – CPI LOTERIA DO ESTADO DE MG. : – Constituída em 22/10/87 – Relatório Final – Publicação “DL “ em 29/03/88 – Cx. 129

42 – CPI METROBEL : – Constituída em 26/03/87 – Relatório Final – Resolução nº 4387/87 – Publicação “DL “ em 04/12/87, pág. 20, col.1 – Microfilme 369.  – Cx. 144 e 144 A

 

43 – CPI CEMIG I  : – Constituída em 26/04/88 – Relatório Final – Resolução 5024/88 – Publicação “ DL” em 14/10/89 – Cx. 97 a 99

44 – CPI EDITORA LEMI : – Constituída em 17/03/88 – Relatório Final – PRE 1004/88 – Publicação “DL” em 23/08/88 – ERRATA publicada em 24/08/88. Cx. 147

45 – CPI FAZENDA MAQUINÉ : – Constituída em 11/08/88 – Relatório Final – Resolução 5057/90 – Publicação  “DL “  em 22/05/90, pág. 04, col. 1 – Microfilme 424 – Cx. 75

46 – Resolução 6518/89 – VAGAS NA REDE ESTADUAL DE ENSINO  : – Constituída em 08/04/89 – Relatório Final  – Publicação “ DL” em 10/11/89 – Cx. 160/161

47 – CPI  IEF : – Constituída em 21/04/89 – Relatório Final – Publicação: “ DL” em 12/12/89 – Cx. 110

48 – PIROCLORO / NIÓBIO EM ARAXÁ : – Constituída em 16/03/90 – Relatório Final – Resolução 5089/90 – Publicação  “DL”  em 28/12/90, pág. 43. ,  col. 1. Cx. 128

49 – AIRP ( ASSESSORIA DE IMPRENSA E RELAÇÕES PÚBLICAS DO GOVERNO ) : – CPS  transformada em CPI – Relatório Final – Publicação “ DL” em 07/08/90. Cx. 113

50 – CAMIG / METAMIG : – Constituída em 15/05/90 – Relatório Final – publicação  “DL”  em 13/10/90. Cx. 144 e 144 A

51 – TRANSPORTE COLETIVO INTERMUNICIPAL : – ( contém 01 fita de vídeo e 02 fitas cassetes ) – 1990/ 92 – Relatório Final  sem data de publicação. Cx. 223 e 224

CPI’s

1991 a 1994 (12ª LEGISLATURA)

52 – CPI PARA  APURAR DENÚNCIAS DE IRREGULARIDADES NO PAGAMENTO DO  PESSOAL DA FUNDAÇÃO RURAL  MINEIRA -  RURALMINAS -,  DESVIO DE  DOCUMENTAÇÃO E  PROVÁVEIS IRREGULARIDADES NA  ALIENAÇÃO DE  BENS PATRIMONIAIS  E DE  TERRAS PÚBLICAS  DA ENTIDADE, A REQUERIMENTO DO DEPUTADO RAUL MESSIAS.

RELATÓRIO FINAL  PUBLICADO NO DIÁRIO DO LEGISLATIVO – “MINAS GERAIS” – EM 27 08 1991, PÁGINA 48, COLUNA 3.

53 – CPI PARA  INVESTIGAR OS  FATORES QUE  DETERMINAM O CÁLCULO DAS TARIFAS, A EXPLORAÇÃO DOS  TRANSPORTES INTERMUNICIPAIS  PELAS CONCESSIONÁRIAS E O DIREITO DE EXPLORAÇÃO,  PARA A  ADTER, DO  TERMINAL RODOVIÁRIO  DE BELO  HORIZONTE,  A REQUERIMENTO DO DEPUTADO MARCOS HELÊNIO.

RELATÓRIO FINAL  PUBLICADO NO DIÁRIO DO LEGISLATIVO – “MINAS GERAIS” – EM 30 10 1991, PÁGINA 50, COLUNA 3.

54 – CPI PARA APURAR POSSÍVEIS IRREGULARIDADES PRATICADAS PELO PODER EXECUTIVO DURANTE A  CAMPANHA ELEITORAL  PARA  ELEIÇÃO  DE  PREFEITOS  E  VEREADORES,  A REQUERIMENTO DO DEPUTADO GUALTER MONTEIRO.

RELATÓRIO FINAL PUBLICADO NO DIÁRIO DO LEGISLATIVO – “MINAS GERAIS” EM 12 10 1991, PÁGINA 49, COLUNA 1.

55 – CPI PARA  APURAR OS  FATOS QUE DERAM ORIGEM À LIQÜIDAÇÃO EXTRAJUDICIAL DA MINASCAIXA, A REQUERIMENTO DO DEPUTADO GERALDO REZENDE.

RELATÓRIO FINAL  PUBLICADO NO DIÁRIO DO LEGISLATIVO – “MINAS GERAIS” – EM 21 09 1991, PÁGINA 48, COLUNA 3.

56 – CPI PARA  APURAR POSSÍVEIS  IRREGULARIDADES NO  PROGRAMA PRÓ-HABITAÇÃO, A CARGO DA  COMPANHIA HABITACIONAL DE MINAS GERAIS – COHAB-MG, A REQUERIMENTO DO DEPUTADO JOSÉ MILITÃO.

RELATÓRIO FINAL PUBLICADO NO DIÁRIO DO LEGISLATIVO – “MINAS GERAIS” – EM 07 03 1992, PÁGINA 52, COLUNA 3.

57 – CPI PARA  APURAR POSSÍVEIS  IRREGULARIDADES NA PRIVATIZAÇÃO DA CAMIG E EM TODO O  PROCESSO DE  PRIVATIZAÇÃO PRATICADO PELO GOVERNO MINEIRO DESDE 1987, A REQUERIMENTO DO DEPUTADO JOSÉ MILITÃO.

RELATÓRIO FINAL  PUBLICADO NO DIÁRIO DO LEGISLATIVO – “MINAS GERAIS” – EM 12 05 1993, PÁGINA 14, COLUNA 2.

58 – CPI PARA  APURAR O  ENVOLVIMENTO DE  POLICIAIS LIGADOS À QUINTA DELEGACIA REGIONAL DE  POLÍCIA DE  GOVERNADOR VALADARES,  NA FORMAÇÃO  DE UMA  QUADRILHA DESTINADA A  PRÁTICAS CRIMINOSAS,  TAIS COMO ASSASSINATO DE PESSOAS, TORTURA E CORRUPÇÃO, DENOMINADA  PELA IMPRENSA  DE “COMANDO DE MORTE”, A REQUERIMENTO DO DEPUTADO MARCOS HELÊNIO.

RELATÓRIO FINAL  PUBLICADO NO DIÁRIO DO LEGISLATIVO – “MINAS GERAIS” – EM 21 05 1993, PÁGINA 27, COLUNA 3.

59 – CPI PARA  APURAR O  ENVOLVIMENTO DE  POLICIAIS CIVIS  LOTADOS  NA  OITAVA DELEGACIA REGIONAL  DE POLÍCIA  DE MONTES  CLAROS EM POSSÍVEIS IRREGULARIDADES DENUNCIADAS  PELO   REPRESENTANTE  DO   MINISTÉRIO  PÚBLICO  NO  MUNICÍPIO,  A REQUERIMENTO DO DEPUTADO ROBERTO AMARAL.

RELATÓRIO FINAL  PUBLICADO NO DIÁRIO DO LEGISLATIVO – “MINAS GERAIS” – EM 07 07 1993, PÁGINA 39, COLUNA 2.

60 – CPI PARA INVESTIGAR, NO PRAZO DE 120 DIAS, A EXISTÊNCIA DE ESCRAVIDÃO POR DÍVIDAS DE  TRABALHO NO  DESMATAMENTO E  PRODUÇÃO DE  CARVÃO VEGETAL NA REGIÃO NORTE DE MINAS.

RELATÓRIO FINAL  PUBLICADO NO DIÁRIO DO LEGISLATIVO – “MINAS GERAIS” – EM29 12 1994, PÁGINA 69, COLUNA 2.

CPI’s

1995 a 1998 (13ª LEGISLATURA)

61 – CPI PARA  INVESTIGAR A  PROSTITUIÇÃO INFANTIL  NA REGIÃO  NORTE DE  MINAS GERAIS, A REQUERIMENTO DO DEPUTADO DIMAS RODRIGUES E OUTROS.

RELATÓRIO FINAL  PUBLICADO NO DIÁRIO DO LEGISLATIVO – “MINAS GERAIS” – EM 22 09 1995, PÁGINA 6, COLUNA 2.

62 – CPI PARA  INVESTIGAR, NO  PRAZO DE  120 DIAS,  A DESAPROPRIAÇÃO REALIZADA PELA CODEVASF NA IMPLANTAÇÃO DO PROJETO GORUTUBA, NA REGIÃO NORTE DE MINAS.

RELATÓRIO FINAL  PUBLICADO NO DIÁRIO DO LEGISLATIVO – “MINAS GERAIS” – EM 18 11 1995, PÁGINA 3, COLUNA 4.

63 – CPI PARA, NO PRAZO DE 120 DIAS, INVESTIGAR A EXISTÊNCIA DE ESCRAVIDÃO POR DÍVIDAS DE TRABALHO NO DESMATAMENTO E PRODUÇÃO DE CARVÃO VEGETAL NA REGIÃO DO NORTE DE MINAS.

RELATÓRIO FINAL  PUBLICADO NO DIÁRIO DO LEGISLATIVO – “MINAS GERAIS” – EM 02 04 1996, PÁGINA 4, COLUNA 1.

64 – CPI PARA,  NO PRAZO DE 120 DIAS, APURAR DENÚNCIAS CONTRA A CHAMADA “MÁFIA DO CARVÃO”, QUE VEM ATUANDO PRINCIPALMENTE NO NORTE DE MINAS.

RELATÓRIO FINAL  PUBLICADO NO DIÁRIO DO LEGISLATIVO – “MINAS GERAIS” – EM 17 04 1996, PÁGINA 16, COLUNA 2.

65 – CPI PARA,  NO PRAZO  DE 120  DIAS, PROCEDER A ESTUDOS SOBRE O PROCESSO DE APURAçÃO DOS ÍNDICES DO VALOR ADICIONADO FISCAL – VAF, DOS MUNICÍPIOS DE MINAS GERAIS E  APURAR AS  VARIAçÕES NO  VAF DOS MUNICÍPIOS DE CONTAGEM, CONGONHAS E VARGINHA.

RELATÓRIO FINAL  PUBLICADO NO DIÁRIO DO LEGISLATIVO – “MINAS GERAIS” – EM 01 11 1996, PÁGINAS 14 E 15.

66 – CPI PARA, NO PRAZO DE 120 DIAS, APURAR DIVERSAS DENÚNCIAS QUE ENVOLVEM O SISTEMA PENITENCIÁRIO DO ESTADO.

RELATÓRIO FINAL PUBLICADO NO DIÁRIO DO LEGISLATIVO – “MINAS GERAIS” – EM 13 09 1997, PÁGINA 35, COLUNA 4.

67 – CPI PARA, NO PRAZO DE 120 DIAS, INVESTIGAR A FALTA DE REPASSES DO TESOURO ESTADUAL AO IPSEMG.

RELATÓRIO FINAL PUBLICADO NO DIÁRIO DO LEGISLATIVO – “MINAS GERAIS” – EM 19 02 1998, PÁGINA 15, COLUNA 2.

68 – CPI PARA, NO PRAZO DE 90 DIAS APURAR A DESTINAÇÃO DOS ARQUIVOS DO DEPARTAMENTO DE ORDEM POLITICA E SOCIAL – DOPS, A REQUERIMENTO DO DEP. ADELMO CARNEIRO LEAO E OUTROS.

RELATÓRIO FINAL PUBLICADO NO DIÁRIO DO LEGISLATIVO – “MINAS GERAIS” EM 16 06 1998, PÁGINA 28 COLUNA 4.

69 – CPI PARA, NO PRAZO DE 120 DIAS PROCEDER A APUTACAO DE DENÚNCIAS DE IRREGULARIDADES NO FUNCIONAMENTO DOS BINGOS EM MINAS GERAIS, A REQUERIMENTO DO DEPUTADO DURVAL ANGELO E OUTROS.

RELATÓRIO FINAL PUBLICADO NO DIARIO DO LEGISLATIVO – “MINAS GERAIS” EM 03 07 1998 PÁGINA 75 COL 2.

70 – CPI PARA, NO PRAZO DE 120 DIAS, APURAR A INSTALAÇÃO E EXPLORAÇÃO DE GARIMPOS NOS RIOS DO TERRITÓRIO DO ESTADO DE MINAS GERAIS E SEUS EFEITOS DEVASTADORES E CORRUPTORES, A REQUERIMENTO DO DEP. RAUL LIMA NETO.

RELATÓRIO FINAL PUBLICADO NO DIÁRIO DO LEGISLATIVO – “MINAS GERAIS” EM 14 08 1998, PÁGINA 28 COLUNA 3.

71 – CPI PARA, NO PRAZO DE 120 DIAS, APURAR A ENTRADA DE MEDICAMENTOS FALSOS NA REDE HOSPITALAR PÚBLICA E PRIVADA, BEM COMO A COMERCIALIZAÇÃO DOS MESMOS NO ESTADO, A REQUERIMENTO DO DEP. IRANI BARBOSA E OUTROS.

RELATÓRIO FINAL PUBLICADO NO DIÁRIO DO LEGISLATIVO – “MINAS GERAIS” EM 23 12 1998, PÁGINA 30 COLUNA 1.

CPI’s

1999 a 2002 (14ª LEGISLATURA)

72 – COMISSÃO PARLAMENTAR DE INQUÉRITO PARA, NO PRAZO DE 120 DIAS, APURAR POSSÍVEIS IRREGULARIDADES NA ALIENAÇÃO DE 33% DAS AÇÕES DA CEMIG (CPI DA CEMIG)

RELATÓRIO FINAL PUBLICADO NO DL EM 18 9 1999, PAG 27 COL 1.

73 – COMISSÃO PARLAMENTAR DE INQUÉRITO PARA, NO PRAZO DE 120 DIAS, APURAR POSSÍVEIS IRREGULARIDADES NA EMISSÃO DE CARTEIRAS DE HABILITAÇÃO DE MOTORISTAS PELO DETRAN DE MINAS GERAIS, BEM COMO O ENVOLVIMENTO DE POLICIAIS CIVIS NAS DENÚNCIAS.

(CPI DA CARTEIRA DE HABILITAÇÃO)

RELATÓRIO FINAL PUBLICADO NO DL EM 1 10 1999,  PÁG 26 COL 1.

74 – COMISSÃO PARLAMENTAR DE INQUÉRITO PARA, NO PRAZO DE 120 DIAS, APURAR POSSÍVEIS DESVIOS DE RECURSOS PERTENCENTES AOS FUNDOS DO PODER EXECUTIVO E DE RECURSOS VINCULADOS TRANSFERIDOS PELA UNIÃO AO ESTADO. (CPI DOS FUNDOS).

RELATÓRIO PUBLICADO NO DL EM 23 10 1999, PAG 30 COL 4.

75 – COMISSÃO PARLAMENTAR DE INQUÉRITO PARA, NO PRAZO DE 120 DIAS, PROCEDER À APURAÇÃO DO DESVIO DE REPASSES DE CONTRIBUIÇÕES PREVIDENCIÁRIAS DEVIDAS AO INSTITUTO DE PREVIDÊNCIA DOS SERVIDORES MILITARES DO ESTADO DE MINAS GERAIS – IPSM, TANTO AS PARCELAS DESCONTADAS DOS SEGURADOS QUANTO AS DEVIDAS PELO ESTADO DE MINAS GERAIS E, AINDA, DA CORREÇÃO NA GESTÃO FINANCEIRA DA ENTIDADE, ESPECIALMENTE SUA POLÍTICA DE BENEFÍCIOS (CPI DO IPSM).

RELATÓRIO FINAL PUBLICADO NO DL EM 23 3 2000,  PÁG 18 COL 2.

76 – COMISSÃO PARLAMENTAR DE INQUÉRITO PARA, NO PRAZO DE CENTO E VINTE DIAS, PROCEDER À APURAÇÃO DE MALVERSAÇÃO DE RECURSOS NA CONSTRUÇÃO DE PEQUENOS BARRAMENTOS NA REGIÃO AFETADA PELAS SECAS EM MINAS GERAIS, NO NORTE DE MINAS, VALE DO JEQUITINHONHA E DO MUCURI. (CPI  DAS BARRAGENS)

RELATÓRIO FINAL PUBLICADO NO DL EM 27 5 2000, PÁG 53 COL 4.

77 – COMISSÃO PARLAMENTAR DE INQUÉRITO PARA INVESTIGAR O PROCESSO DE AJUSTE E AS TRANSFORMAÇÕES NO SISTEMA FINANCEIRO ESTADUAL NA DÉCADA DE NOVENTA, COM DESTAQUE PARA A PRIVATIZAÇÃO DO BEMGE. (CPI DOS BANCOS OU CPI DO SISTEMA FINANCEIRO).

RELATÓRIO FINAL PUBLICADO NO DL EM 27 6 2000, PÁG 22 COL 3.

78 – COMISSÃO PARLAMENTAR DE INQUÉRITO PARA APURAR O TRÁFICO DE DROGAS NO ESTADO (CPI DO NARCOTRÁFICO).

RELATÓRIO FINAL PUBLICADO NO DL EM 20 12 2000, PÁG 29 COL 3.

79 – COMISSÃO PARLAMENTAR DE INQUÉRITO PARA, NO PRAZO DE 120 DIAS, APURAR AS POSSÍVEIS IRREGULARIDADES NOS PROCESSOS LICITATÓRIOS REALIZADOS COM DISPENSA OU INEXIGIBILIDADE  DE LICITAÇÃO PELO GOVERNO DO ESTADO DE MINAS GERAIS A PARTIR DE JANEIRO DE 1995 (CPI  DAS LICITAÇÕES).

RELATÓRIO FINAL PUBLICADO NO DL EM 10 5 2001, PÁG 18 COL 2.

80 – COMISSÃO PARLAMENTAR DE INQUÉRITO PARA, NO PRAZO DE 120 DIAS, APURAR AS DENÚNCIAS DE FAVORECIMENTO  NOS PAGAMENTOS FEITOS NO PERÍODO DE JULHO A DEZEMRO DE 1998, A CONSTRUTORAS QUE MANTINHAM CONTRATOS COM O ESTADO (CP I DAS CONSTRUTORAS).

RELATÓRIO FINAL PUBLICADO NO DL EM 27 6 2000, PÁG 22 COL 2.

81 – COMISSÃO PARLAMENTAR DE INQUÉRITO PARA, NO PRAZO DE CENTO E VINTE DIAS, APURAR AS  POSSÍVEIS  IRREGULARIDADES NA EXECUÇÃO DE OBRAS MUNICIPAIS FINANCIADAS COM RECURSOS DO FUNDO SOMMA  (CPI DO FUNDO SOMMA).

RELATÓRIO FINAL PUBLICADO NO DL EM 17 5 2001, PÁG 18 COL 2.

82 – COMISSÃO PARLAMENTAR DE INQUÉRITO PARA, NO PRAZO DE 120 DIAS, APURAR AS DENÚNCIAS DE MÁ UTILIZAÇÃO E DESVIOS DAS VERBAS  DO FUNDEF – FUNDO DE MANUTENÇÃO E DESENVOLVIMENTO  DO ENSINO FUNDAMENTAL E VALORIZAÇÃO DO MAGISTÉRIO -  EM MUNICÍPIOS MINEIROS (CPI  DO FUNDEF).

RELATÓRIO FINAL PUBLICADO NO DL EM 10 5 2001, PÁG 16 COL 2.

83 – COMISSÃO PARLAMENTAR DE INQUÉRITO PARA, NO PRAZO DE 120 DIAS, APURAR AS  DENÚNCIAS SOBRE CORRUPÇÃO  NA SECRETARIA DE ESTADO DA SAÚDE, APONTADAS PELO EX-SECRETÁRIO, DEP. ADELMO CARNEIRO LEÃO, ABRANGENDO DESDE EMISSÃO DE NOTAS FALSAS A SUPERFATURAMENTO NA FUNED, ALÉM DA TERCEIRIZAÇÃO DESNECESSÁRIA PARA A LAVAGEM DE ROUPAS NA FHEMIG. (CPI DA SAÚDE).

RELATÓRIO  FINAL PUBLICADO NO DL EM 20 9 2001, PÁG 16 COL 3.

84 – COMISSÃO PARLAMENTAR DE INQUÉRITO PARA, NO PRAZO DE 120 DIAS, APURAR DENÚNCIAS DE IRREGULARIDADES ENVOLVENDO O CONTRATO DE EXPLORAÇÃO DO TERMINAL RODOVIÁRIO ISRAEL PINHEIRO FILHO, MANTIDO ENTRE O DER-MG E A EMPRESA ADTER (CPI DA RODOVIÁRIA).

RELATÓRIO FINAL PUBLICADO NO DL EM 22 12 2000, PÁG 25 COL 1.

85 – COMISSÃO PARLAMENTAR DE INQUÉRITO PARA, NO PRAZO DE 120 DIAS, APURAR OS MECANISMOS DE FORMAÇÃO DO PREÇO DO LEITE NA INDÚSTRIA E NO COMÉRCIO E INVESTIGAR INDÍCIOS EXISTENTES DE CARTELIZAÇÃO (CPI DO PREÇO DO LEITE)

RELATÓRIO FINAL PUBLICADO NO DL EM 18 4 2002 PÁG 23 COL 1.

86 – Comissão Parlamentar de Inquérito para, no prazo de 120 dias, Investigar as Condições de Trabalho dos Profissionais que Atuam na Indústria Extrativa de Minas Gerais (CPI das Carvoarias)

RELATÓRIO FINAL PUBLICADO NO DL EM  5 9 2002,  21 col 1.

87 – Comissão Parlamentar de Inquérito para, no Prazo de 120 Dias, Apurar Possíveis Irregularidades nas Minas Exploradas pela Mineração Morro Velho Ltda., com Sede no Município de Nova Lima, no que se Refere a Condições de Trabalho nas Minas, Acordos Individuais e Coletivos de Trabalho, Valores e Forma de Pagamento das Indenizações aos Portadores de Silicose e Grau de Dano Social Causado pela Doença na Região.  (CPI da Mineração Morro Velho)

RELATÓRIO FINAL PUBLICADO NO DL EM  30 5 2002, pág 41 col 3.

88 – Comissão Parlamentar de Inquérito para, nos prazo de 120 dias, apurar o funcionamento do sistema prisional do Município de Ribeirão das Neves e outros, verificando a possível participação do poder público com grupos criminosos organizados, no esquema de facilitação de fuga, tráfico de droga, liberdade e soltura extra-legal (cpi do sistema prisional).

RELATÓRIO PUBLICADO NO DL EM  19 12 2002, PÁG 29 COL 4.

89 – COMISSÃO PARLAMENTAR DE INQUÉRITO para, no Prazo de Cento e Vinte Dias, Apurar Possíveis Irregularidades no Processo de Arrecadação, por Parte do Poder Público, de Custas e Emolumentos Devidos por Serviços Prestados pelos Serviços Notariais e de Registro no Estado, doravante denominada (CPI DOS CARTÓRIOS):

RELATÓRIO FINAL PUBLICADO NO DL EM  19 12 2002, PÁG 27 COL 1.

CPI’s

2003 a 2006 (15ª LEGISLATURA)

90 – Comissão Parlamentar de Inquérito para, no prazo de 120 dias, investigar denúncias de atuação de quadrilhas de crime organizado no desaparecimento de milhares de sacas de café no Estado de Minas Gerais, bem como a sonegação fiscal e prejuízo ao erário (CPI DO CAFÉ).

RELATÓRIO FINAL PUBLICADO NO DL EM 18 12 2004, PÁG 64 A 69

91 – Comissão Parlamentar de Inquérito para, no prazo de 120 dias, apurar a regularidade dos processos de licenciamento prévio, instalação e de operação das atividades da MBR no Estado de Minas Gerais, bem como do julgamento dos recursos dos autos de infração atribuídos àquela mineradora (CPI da Mina Capão Xavier) .

RELATÓRIO FINAL PUBLICADO NO DL EM 22 09 2005, PÁG 41 COL 3


publicado por aecioneves | Segunda-feira, 27 Junho , 2011, 01:42

O que Aécio Neves (PDSB/MG)tem, que Sérgio Cabral (PMDB/RJ) não tem?

relações de Aecio neves com empreiteiros e Fernando Cavendish

 

Um trágico acidente de helicóptero em Trancoso, na Bahia, revelou que o governador Sérgio Cabral (PMDB/RJ) ia a uma festa de aniversário de Fernando Cavendish, dono da empreiteira Delta. A empreiteira tem obras junto ao governo do Rio. Não há no noticiário nenhuma acusação de fato contra Sérgio Cabral, apenas as suspeitas de sempre, com base no teste de hipótese de que “se não é culpado, é bem possível que poderia ser”.

 

Realmente, seria o ideal e mais prudente a um governador, manter uma distância pessoal maior de empreiteiros que tem contratos com o estado. Mas é estranho essa súbita cobrança da imprensa, quando o costume vem pelo menos desde D. Pedro II que convivia muito bem com o Barão de Mauá, e quando os próprios donos da imprensa sempre cultivaram “amizades” com governantes, sejam da ditadura, seja na era demo-tucana.

 

Mas o mais irônico, é que se Cabral é suspeito, então por que Aécio Neves (PSDB/SP) é louvado quando, em novembro de 2007, em pleno exercício do governo de Minas, frequentou a casa de Fernando Cavendish, em badalada festa, na Avenida Vieira Souto, no Rio

 

Fonte:Os Amigos do Brasil


publicado por aecioneves | Sábado, 11 Junho , 2011, 16:26

Depois do Ex-Presidente FHC chamar os aposentados de Vagabundos e recomendar a aliados se manter longe do Povão  ,o atual líder do Partido no Senado  de Alckmin , Serra  e Aécio Neves o Senador Fofoqueiro Álvaro Dias(PSDB-PR) mostra realmente o que o partido pensa dos beneficiários do Bolsa Família.

 

Vídeo censurado pelo Youtube e o PSDB vejam outro abaixo

Álvaro Dias e o preconceito do PSDB contra o Bolsa Família e contra os pobres. from forapsdb on Vimeo.

 

Em entrevista ao programa Roda Viva, o senador Álvaro Dias (PSDB/PR) revelou o pensamento tucano sobre o programa Bolsa-Família:
"O Bolsa Família não tira ninguém da miséria. Mantém na miséria, porque ESTIMULA A PREGUIÇA, inclusive... há gente que NÃO QUER TRABALHAR porque não quer ter carteira assinada para não perder o Bolsa Família,essa é uma verdade" - disse o tucano.
Marília Gabriela, cujos patrões no Roda Viva é o governo tucano do Estado de São Paulo, entrou em pânico com a mancada, e soou o gongo antes da hora, impedindo o tucano de divagar mais suas idéias preconceituosas de tucanos que não gostam de pobres. Se deixasse o senador falar mais um pouco acabaria chamando de "bolsa-esmola".

Repare com Reinaldo Azevedo (PIG Veja) até abaixa a cabeça, desolado...

Álvaro Dias, é líder do PSDB no Senado, por isso fala pelo partido.
E foi o candidato "puro-sangue" a vice-presidente de José Serra (PSDB/SP), por um dia, nas eleições de 2010, até ser substituído por Indio da Costa (ex-DEMos/RJ).

Como senador ocioso, que não produz nada para o país, pelo contrário, atrapalha conspirando contra o governo escolhido pelo povo, ganha R$ 26 mil por mês, e tem a cara-de-pau de chamar de preguiçoso uma pessoa do bolsa-família que recebe algo entre R$ 32,00 e R$ 70,00 per-capta.

Fonte:BLOG Porque não Votar em geraldo Alckmin e José Serra 


Enviem seu repúdio a isso CLICANDO AQUI

 


publicado por aecioneves | Quarta-feira, 01 Junho , 2011, 17:44

retirado do BLOG Rodrigo Vianna ,já que a PIG OMITIU
No domingo, a “Folha” publicou – com grande estardalhaço – a lista de parlamentares que possuem emissoras de rádio e TV – ou que mantêm as emissoras em nome de parentes. A reportagem, na edição impressa, remetia o leitor para a “lista completa” que podia ser lida na internet, no UOL. E esclarecia que o material tinha sido preparado pelo Ministério das Comunicações.
Esse blogueiro estranhou, como se pode ler aqui, que a reportagem da “Folha” não citase o senador Aécio Neves – impulsivo e notívago líder da oposição. Recentemente, como se sabe, Aécio foi flagrado numa blitz da Lei Seca no Rio. Recusou-se a fazer o teste do bafômetro. Deve ter as razões dele… O mais interessante: investigações posteriores mostraram que o carro dirigido pelo senador estava em nome da rádio Arco-Íris, que tem a irmã e a mãe de Aécio como sócias, em Minas – como se pode ler aqui. Toda a imprensa divulgou a história (de forma discreta, claro, porque tucanos em geral não devem ser incomodados com essas bobagens).
Estranhei que a rádio da família de Aécio não estivesse na reportagem da “Folha”. E cheguei a supor que omissão se dera porque Aécio e família também  não constassem da lista original do Ministério – que suscitou a reportagem…
Mas eis que vários leitores alertam-me para o detalhe: na lista original, consta, sim, uma tal “Rádio Colonial FM Ltda” (em nome da irmã de Aécio)!
A Rádio Colonial e a Rádio Arco-Íris são a mesma coisa? Uma é nome fantasia a outra é o nome da empresa? Ou é uma segunda rádio? Tema  ser melhor apurado…
Vejam, na página 250 da lista, o nome da irmã de Aécio, Andréa Neves (que, dizem, é a mentora do impulsivo líder da oposição):

relação de políticos donos de rádio inclusive andreia neves



Opa, a situação então ficou mais estranha!
A “Folha” incluíra na reportagem de domingo casos de parlamentares que colocam rádios em nome de parentes. A irmã de Aécio está na lista! E Aécio não aparece na reportagem!
Precisa dizer mais alguma coisa?
Como disse a Ângela – uma das leitoras que me alertaram para o fato: “A Folha só não deu mesmo porque não quis”.

Imaginem se houvesse uma rádio no nome da irmã de Lula? Ou da prima do Zé Dirceu? A “Folha” ia “esquecer” de incluir na reportagem?
Aécio não é qualquer um: trata-se do proclamado “novo líder da oposição”.
A “Folha” também não é qualquer uma. Na direção do jornal está Judith Brito, que anunciou ano passado de forma taxativa: como os partidos da oposição estão em crise, cabe à imprensa fazer oposição!
Ok! Mas, desse jeito, não, Judith! Fica feio demais… Brigar com os fatos vai deixar a imprensa de oposição tão fraca quanto a oposição partidária demotucana – que também briga com os fatos há 9 anos!
Desse jeito, de oposição verdadeira mesmo vão sobrar apenas o PMDB e o Palocci.

Leia outros textos de Radar da Mídia


publicado por aecioneves | Quarta-feira, 04 Maio , 2011, 13:30

O “Novo Jornal” teve sua página de internet tirada do ar por imposição da Promotoria do Estado de Minas Gerais em conjunto com a Polícia Militar. O jornal eletrônico é um dos poucos órgãos de imprensa que fazia um jornalismo independente no Estado de Minas Gerais, e que criticava o governo tucano de Aécio Neves.

A censura foi imposta no dia 14 de agosto. Ao acessar o site, os leitores encontravam os seguintes dizeres: “Ministério Público do Estado de Minas Gerais. Esta página foi suspensa por medida cautelar judicial e o conteúdo do site é objeto de apuração por indícios de prática de crimes. Promotoria Estadual de Combate aos Crimes Ciberné-ticos”.

A alegação da Promotoria para a censura foi a de que o site publicava matérias contrárias ao governador tucano.
“Desde 2007, o site publicava matérias atentatórias à honra de autoridades públicas federais e estaduais. As matérias publicadas incluíam ataques ao procurador-geral de Justiça, Jarbas Soares Junior, e principalmente ao governador Aécio Neves (PSDB)”, diz a Promotoria.

Além de fechar o órgão, que é dirigido pelo jornalista Marco Aurélio Flores Carone, a Polícia Militar ainda cumpriu mandados de busca e apreensão no escritório do site.

Por causa da sua posição crítica, o governo tucano utilizou de pretextos para perseguir o jornal, como o de não ter identificação pelo responsável pelas notícias veiculadas. Além disso, o jornal passou a ser acusado de diversos crimes, sem que fossem especificados quais.

Carone se disse assustado em ver novamente este tipo de ação no Brasil. “Sempre fizemos denúncias e elas não são ligadas apenas ao Poder Público e ao governo do estado de Minas Gerais. Quando foi tirado do ar, estávamos com uma matéria na manchete que falava sobre o ministro Gilmar Mendes”
Fonte:http://www.horadopovo.com.br/2008/agosto/2697-29-08-08/P3/pag3e.htm


publicado por aecioneves | Terça-feira, 19 Abril , 2011, 18:50

Aécio Neves mentiu ao país!

A sua habilitação para dirigir foi renovada em 31/05/2010.
Desta forma, a apreensão de sua carteira de motorista não se deu por estar vencida. Foi pela recusa em fazer o teste do bafômetro para medir seu nível de teor alcoólico.

A imprensa ou comeu esta mosca ou quis proteger Aécio,tentando amenizar seu ato irresponsável da recusa no teste.
O que ele teria a esconder?
Registro RENACH: 007315220-30 (Nº CNH Nova – c/ Foto)
N.Prontuário: 23624685-2 (Nº CNH Antiga – s/ Foto)
Formulário RENACH: MG976859424
Nome do Condutor: AECIO NEVES DA CUNHA
Data Impressão: 31/05/2010

Av. João Pinheiro, 417 – Centro – Belo Horizonte/MG – CEP 30130-180
Confira!
Clique emhttps://wwws.detrannet.mg.gov.br/detran/conscnh.asp?IdServico=71 e
Preencha com os dados abaixo
Número da CNH 00731522030
Data de Nascimento 10/03/1960

Tipo de CNH: Nova/Intermediária
 Fonte:http://paranablogs.wordpress.com/2011/04/19/aecio-neves-mentiu-ao-pais-a-sua-habilitacao-para-dirigir-foi-renovada-em-31052010/


publicado por aecioneves | Quarta-feira, 23 Março , 2011, 17:36

A "indignação" da oposição, incluindo o PIG (Partido da Imprensa Golpista), contra a violação do sigilo fiscal de demo-tucanos paulistas durou pouco.

Foi só até passar o prazo de validade eleitoral, com a derrota de José Serra (PSDB/SP).

A Receita Federal foi obrigada a revogar a portaria 2.166, que tornava mais rigorosas as regras para seus funcionários e de despachantes, terem acesso aos dados fiscais de contribuintes, porque o Congresso não votou a Medida Provisória 507 de 5 de outubro de 2010. Com prazo de vigência vencido, perdeu a validade.

Nem o senador paulista Aloysio Nunes (PSDB/SP), nem o mineiro Aécio Neves (PSDB/SP), se interessou em agilizar a votação.

As investigações da violação do sigilo da filha de Serra, de grãos-tucanos paulistas, como Eduardo Jorge Caldas Pereira, dos compadres de José Serra, Gregório Preciado e Ricardo Sérgio de Oliveira, apontaram para uma reportagem invetigativa do jornal Estado de Minas, ligado a Aécio, para neutralizar supostos dossiês feitos contra Aécio por serristas ligados a Marcelo Itagiba, segundo depoimentos dos envolvidos. Os bastidores desta história será narrado no livro "Os porões da privataria" do jornalista Amaury Ribeiro Junior.

Globo, Estadão, Veja e Folha pouco interesse demonstram com a queda da MP no Congresso, contrastando com o barulho que fizeram no ano passado. Preferem abafar o caso, para não reavivar na memória a guerra de dossiês entre as facções tucanas.

Estão mandando os leitores/espectadores esquecerem aqueles editoriais "indignados" e "reportagens" pedindo a cabeça do secretário da Receita Federal, da então candidata Dilma, e até de blogs (que noticiaram  outros documentos públicos a respeito da sociedade da filha de José Serra com a irmã de Daniel Dantas na Flórida, nada tendo a ver com dados de origem sigilosa).

Fica claro que o noticiário foi completamente corrompido, superdimensionado, conspiratório para mudar o resultado das eleições, e pararam de noticiar porque as eleições passaram e fugiram de aprofundar na notícia verdadeira: na guerra de dossiês entre serristas e aecistas.
Font:Blog Amigos do Presidente Lula


publicado por aecioneves | Quinta-feira, 03 Março , 2011, 10:23

Derrotado na corrida pelo governo de Minas Gerais, o ex-senador Hélio Costa (PMDB) entrou com um recurso nesta quarta-feira no TSE (Tribunal Superior Eleitoral) pedindo a cassação do mandato do governador Antonio Anastasia.

Hélio Costa acusa Anastasia de abuso de poder econômico durante sua campanha à reeleição, anunciando um "pacote de bondades" para ganhar o apoio dos prefeitos do estado utilizando da prática de "clientelismo característico dos rincões brasileiros".

O recurso argumenta que entre 1º de junho e 3 de julho de 2010 o Governo do Estado de Minas Gerais firmou 3.545 convênios com 842 municípios mineiros para transferir recursos financeiros para serviços, obras e compras locais.

"Em apenas um dia (30/06/2010) foram publicados nada menos que 681 convênios, 37% a mais do que o total de convênios publicados durante todo o mês de junho de 2009", sustentou o autor do recurso.

Hélio Costa aponta também que enquanto em 2009 o valor total dos convênios atingiu R$ 54,6 milhões, em 2010 este número foi "catapultado" para R$ 982,1 milhões, valor 18 vezes superior.

O peemedebista sustenta que Anastasia estabeleceu uma estratégia ilegal para vencer as eleições e resolveu, de forma institucional, "comprar votos" dos principais cabos eleitorais de uma campanha: os prefeitos.

Na ação, o peemedebista aponta que o governador de Minas teria violado a legislação eleitoral (artigo 73 da Lei 9.504/97) que proíbe, nos três meses que antecedem a eleição, a transferência de recursos da União aos estados e municípios, e dos estados aos municípios exceto para cumprir obrigação formal preexistente para execução de obra ou serviço em andamento e com cronograma prefixado.

"O simples fato de um convênio assinado às vésperas de julho prever o pagamento em duas, três ou quatro parcelas já é indicativo forte de que será ou já foi liberada verba durante o período de proibição", disse.

Além disso, acrescenta que ele teria reduzido impostos do álcool combustível e de produtos calçadistas para ganhar apoio em sua campanha. Teria também anunciado aumento de salário aos professores após a deflagração de uma greve da categoria.

A ação pede que Anastasia e vice, Alberto Pinto Coelho sejam cassados e fiquem inelegíveis. O relator do recurso é o ministro Hamilton Carvalhido.

OUTRO LADO

O advogado do governador, José Sad, negou qualquer irregularidade na campanha. Segundo ele, os convênios foram firmados dentro do prazo legal e tiveram aval da Advocacia-Geral do Estado.

Sad afirma que os convênios foram assinados de forma "impessoal" e para compensar a perda dos municípios com os repasses do Fundo de Participação dos Municípios.

A defesa afirma que os números dos convênios na ação "foram distorcidos" e que não houve nenhum aumento "escandaloso". Sobre a queda nos impostos, o advogado disse que há previsão legal porque é prática comum que um Estado abaixe o imposto se outra unidade da federação tomar a medida.

O advogado afirmou que o caso também já está sendo analisado no TRE de Minas, em uma ação também apresentada por Costa.

"Não houve qualquer tipo de irregularidade, não houve nenhum tipo de abuso. Em toda campanha, a atuação do Estado se pautou na observância do que determina a Justiça Eleitoral."
Fonte: JL/Folha e
Jornal Luzilândia

pesquisar neste blog
 
Fevereiro 2019
D
S
T
Q
Q
S
S

1
2

3
4
5
6
7
8
9

10
11
12
13
14
15
16

17
18
19
20
21
22
23

24
25
26
27
28


comentários recentes
O JUIZ NÃO CONCURSADO E SEM OAB, AGENTE DA CIA (TR...
UM BANDIDO CANALHA REMUNERADO PELO MENSALÃO TUCANO...
é difícil entender por que esse gangster Aécio ain...
Esse Aécio parece que é protegido do judiciário br...
Gilmar Mendes suspende coleta de provas em investi...
Gilmar Mendes suspende coleta de provas em investi...
Vagabundo, fingido, nunca fez nada na vida a nåo c...
Vagamundo.
Que engraçado esses caras do PT... Só porque um de...
Fonte Revista veja, sem comentáriosOutra fonte que...
mais sobre mim
Posts mais comentados
blogs SAPO